Home seta Artigos seta Ensinando a Aprender - Aprendendo a Aprender - Reflexões de Dulce Magalhães

Enquete

A maior dificuldade para ensinar alguém a aprender é:
 

Quem está online?

Ensinando a Aprender - Aprendendo a Aprender - Reflexões de Dulce Magalhães PDF Imprimir E-mail

 

 Aprendendo a Aprender

 

 

     

      Imagine que uma pessoa viveu vinte anos em uma mesma casa. Conhecia cada parte da casa, as paredes, os corredores, as portas, os ângulos. Um dia essa pessoa se muda para uma nova casa. A questão é: de que vale o profundo conhecimento que a pessoa tinha da casa antiga, na nova casa?

       A resposta a essa pergunta é a essência do valor da aprendizagem. Todas as experiências que a pessoa viveu na casa antiga, serão importantes para determinar o nível de sucesso que a pessoa pode atingir a partir daquele momento de sua vida, entretanto o domínio da estrutura da casa não tem valor nenhum no novo ambiente.

       Isso porque o conhecimento de estruturas, é o domínio de métodos. Em ambientes de mudança, dominar métodos não representa nenhuma vantagem competitiva. Quando estamos atuando em novos ambientes vale menos os métodos que você domina, e vale mais a velocidade com que você aprende novos métodos.

      Portanto, podemos afirmar que a capacidade de aprender é a verdadeira vantagem competitiva. Só que precisamos aprender a aprender.

 

“Em ambientes de mudança vale

mais a velocidade

com que você aprende.”

 

     Primeiro temos que compreender que aprendizagem é a capacidade de transformar informação em conhecimento. Informação é tudo que você sabe, mas isso não modifica sua vida. Há uma quantidade enorme de informação que circula diariamente, às quais você tem acesso, mas que não modificam seu comportamento.

      Já o conhecimento é tudo que você sabe e faz. E isto modifica totalmente seus resultados de vida.

     Todos somos capazes de gerar aprendizagem, contudo cada um de nós tem um estilo diferente para apreender a informação e transformá-la em conhecimento. Conhecer a si mesmo é, portanto, o passo inicial para desenvolver uma ampla capacidade de aprendizagem.

 

 

      

      Ao descobrir seu estilo de aprendizagem, você pode encontrar a “chave” que aciona sua capacidade de gerar mais e melhores conhecimentos.

       Os adultos aprendem de modo diverso  de como as crianças aprendem. Desta forma é fundamental que os métodos aplicados também sejam diferentes. Não se pode reproduzir o ambiente escolar da infância para educar adultos. Aliás, existem pessoas que tem dificuldades de aprendizagem por terem vivido experiências frustrantes na escola.

 

“Saber e não fazer é o

mesmo que não saber.”

 

       A aprendizagem de adultos é um tema tão específico e importante, que há uma ciência exclusivamente dedicada ao assunto, a Andragogia (do grego: andros - adulto e gogos – educar). Uma das premissas dessa especialidade é entender a motivação das pessoas por trás da aprendizagem.

       Todo adulto ao iniciar um processo de aprendizagem, já trás consigo uma série de conceitos, crenças e informações de vida, que vão servir de filtro para a elaboração de novos conhecimentos. Isso porque o verdadeiro conhecimento deve gerar um novo comportamento, modificar hábitos, rever métodos. Essa é a razão básica de se aprender algo novo.

       A andragogia trata muito do entendimento de conceitos e valores. Seu foco é a compreensão do Porque as coisas acontecem, para haver o domínio do Como Fazer, ou seja, para gerar o “Know How”. Na educação de adultos não se tem professores, mas facilitadores, que são pessoas que viabilizam o acesso do indivíduo à aprendizagem. Funcionam como construtores de pontes entre a informação e o conhecimento.

       A verdadeira prova do saber é a aplicação desse conhecimento. E quanto menor o tempo entre a aprendizagem e a ação, maior será a fixação da informação e a geração do conhecimento. E a competência que é o domínio de determinada atividade, só pode ser alcançada através da aprendizagem.   

 

 

 

 

INVENTÁRIO DE ESTILOS DE APRENDIZAGEM*

 

 

Este inventário tem por finalidade identificar as formas pelas quais se consegue assimilar novas aprendizagens. As diferentes características descritas no inventário são igualmente boas. O objetivo é o de descrever como você aprende, não avaliar sua capacidade de aprendizagem.

·         Publicado originalmente no Harvard Business Review, editado pela Harvard Business School

 

 

INSTRUÇÕES

Há nove conjuntos de quatro palavras. Para cada conjunto (em linha –a coluna é apenas para a soma) dê um conceito de 01 a 04, sendo que 04 representa a palavra que melhor caracteriza seu estilo de aprendizagem; 03 a palavra que logo em seguida melhor caracteriza seu estilo de aprendizagem; 02 a palavra próxima mais característica e 01 a palavra que é menos característica de sua performance como aprendiz. Nunca repita um número na mesma linha.

 

COLUNA A

COLUNA B

COLUNA C

COLUNA D

01._ discriminador

02.___ receptivo

03.___ sentimento

04.___ aceitador

05.___ intuitivo

06.___ abstrato

07._orientado para

           o presente

08.___ experiência

09.___intenso

__ experimentador

___ relevante

___ observação

___ assume riscos

___ produtivo

___ observador

___ reflexivo  

___ observação

___ reservado

___ envolvido

___ analítico

___ pensamento

___ avaliador

___ lógico

___ concreto

__orientado para o  

       futuro

__ conceitualização

___ racional

___ prático

___ imparcial

___ ação

___ consciente

___ questionador

___ ativo

___ pragmático  

__ experimentação

___ responsável

SOME OS PONTOS POR COLUNA

 

EC ________

 

 

OR ________

 

CA ________

 

EA ________

 

 

Você certamente tem mais de um estilo de aprendizagem, o importante aqui é estabelecer qual é o estilo predominante, a partir daí sua capacidade para aprender novas habilidades pode aumentar muito, desde que você utilize a estratégia mais correta, dependendo de suas características de aprendizagem.

 

 

EC – Experiência Concreta: você aprende melhor ao viver a situação.

                                                Sua aprendizagem deriva mais da experiência.

 

OR – Observação Reflexiva: você aprende melhor pela observação dos resultados. Sua aprendizagem deriva mais da reflexão sobre o tema.

 

CA – Conceituação Abstrata: você aprende melhor ao entender a teoria por trás do conhecimento, através de leitura ou apresentação. Sua aprendizagem deriva mais da compreensão intelectual

 

EA – Experiência Ativa: você aprende melhor ao dominar os passos do processo.  Sua aprendizagem deriva mais da participação em tarefase do estudo em grupo.

   

O QUE PODE MUDAR NOSSA VIDA

 

Tem certos fatos que ocorrem em nossa vida, que nos fazem pegar um rumo completamente diferente. Pode ser uma grande perda, uma conquista importante, um acidente, a leitura de um livro impactante, uma mudança, enfim, cada um de nós pode lembrar de fatos marcantes ao longo da vida.

 

Entre as muitas circunstâncias que deixaram marcas visíveis na trajetória que percorremos, sempre tem uma ou duas que foram vitais para determinar a pessoa que somos hoje e as aspirações ou frustrações que carregamos. Eu tenho um fato assim, que merece destaque, no baú de lembranças que a gente carrega vida afora.

 

Quero compartilhar esse fato com o leitor, porque acredito que pode abrir oportunidades novas, tanto quanto abriu para mim mesma. Fiz um mestrado em Londres e tive o privilégio de conviver com professores excelentes. Entretanto um, em especial, estava verdadeiramente imbuído pela idéia de nos transformar, a mim e aos meus colegas, em pessoas melhores.

 

Já no primeiro dia de aula, vestindo roupas estranhas, despenteado e com cara de cientista maluco, daqueles que a gente vê em antigos seriados da televisão, ele chegou ao anfiteatro onde tínhamos nossas aulas e nos provocou com a idéia de nos ensinar o segredo do sucesso. Fez uma longa e cômica apologia sobre como esse segredo poderia nos trazer o poder necessário para que alcançássemos todos os nossos objetivos e realizássemos todos os nossos sonhos.

 

Naquela altura do campeonato, com aquela figura estranha à nossa frente, falando entusiasticamente sobre o segredo do sucesso, já estávamos todos curiosos e fascinados. O silêncio era total, a atenção concentrada, esperando uma grande revelação. Quando o professor percebeu que tinha nosso total envolvimento, parou bruscamente de falar e escreveu, com letras grandes no quadro negro, a letra “T”. Aí ele se voltou para a turma, tentando perceber se alguém já tinha adivinhado qual era o segredo.

 

Só viu nosso olhar de confusão, nossa curiosidade aguçada e um certo respeito desconfiado que todo aluno tem por seu professor, ou seja, até ali continuávamos na mesma. Então, mais animado do que nunca, com ar de garoto aprontando alguma peça, o professor escreveu “H”. Parou o giz no ar em suspense, e a turma, já acompanhando o ritmo, prendeu junto a respiração. E ele completou com as letras “INK”.

 

THINK, era isso, Pensar, na visão de nosso professor, o segredo do sucesso. Para o bem da verdade, devo confessar aqui que na hora fiquei um pouco decepcionada. Então era só isso?! Pensar, simples assim?! Entretanto o professor não fez nada de simples, ele estava, de fato, escancarando uma enorme porta que dava acesso a tudo que se deseja experimentar e conquistar na vida.

 

É claro que naquela hora eu ainda não sabia disso, assim como meus colegas. O olhar que trocamos foi de constrangimento por termos dado trela para um verdadeiro maluco. Mas o professor não se deu por vencido e imediatamente começou a nos ensinar a pensar.

 

Foi uma disciplina inteira sobre o assunto, e eu que pensava que sabia pensar, descobri que não sabia. De um modo geral a gente acha que pensa, pois pensamentos cruzam a nossa mente o tempo todo, mas o professor nos mostrou que pensar é uma ação consciente, que visa perceber a realidade ao nosso redor, refletir sobre ela, gerando atitudes e comportamentos novos, de modo a afetar a realidade, transformando-a. Pensar é, portanto, mudar a realidade.

 

Se não estamos mudando nossa vida todos os dias, alterando hábitos, alçando novos resultados, superando desafios, enfim, transformando nossa rotina, é porque não estamos pensando. Porque pensar tem que gerar mudança, do contrário não é pensar. E esse é, verdadeiramente, o segredo do sucesso.

 

Uma das coisas mais importantes que aprendi sobre o Pensar, é que essa é a capacidade onde está instalado o livre arbítrio. Onde podemos escolher quem queremos ser e o que queremos viver. Pensar é uma arte sofisticada e uma tecnologia avançada ao alcance de todos nós. Arte porque cada um de nós vai moldar sua vida a partir dessa mesma matéria prima, o pensamento, e cada um vai fazer uma obra diferente, única, que leva a nossa assinatura. E é uma tecnologia porque oferece recursos técnicos primorosos, aperfeiçoados ao longo de milhões de anos de evolução.

 

Arte matriz e tecnologia de ponta juntos são poderosos demais para serem sub-aproveitados. São milhões de neurônios e uma infinidade de combinações possíveis, para que possamos apenas decidir que roupa vamos vestir hoje, ou o que teremos para o jantar. É preciso ir além, usar mais nossos recursos pessoais e criar a vida que almejamos, dando respostas, através de um pensar estratégico, aos desafios que temos que superar.

 

Isso foi o que Mr. Jones nos ensinou. Bem mais do que uma informação acadêmica, foi uma estratégia para a vida. Isso só grandes professores estão empenhados em fazer. Thanks Mr. Jones, for everything, or better, everythink.

 

(*) Material Desenvolvido por Dulce Magalhães

Educadora, Pesquisadora, Escritora e Palestrante

Ph.D. em Filosofia com foco em  Planejamento de Carreira pela Columbia University

www.work.com.br

 



Compartilhe com:
Facebook!twitter
 
< Anterior   Próximo >